sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Comecei o ano assim

O novo ano lectivo já começou há 10 dias, no entanto acho que não é tarde demais para vos apresentar a história com a qual iniciei o ano com os meus meninos.
Foi partilhada, pela minha brilhante colega Maria de Jesus Sousa (Juca) no site @rca comum, a quem aproveito para agradecer toda a entrega e partilhas com que nos brinda, e sempre de uma forma tão simpática e agradável.
Muito obrigada Juca, por tudo o que tenho aprendido contigo.
Os meus meninos adoraram a história e no final todos levaram também um beijinho na mão para as suas mamãs.
Leiam, que é uma delícia.

A história “Um beijo na mão”

Era uma vez um guaxinim chamado Chester, que vivia na floresta com a sua família.
Chegou o mês de Setembro e a escola estava quase a começar. Mas o Chester não queria ir para a escola! Ele gostava tanto, tanto da sua mãe, que não queria separar-se dela… por isso andava triste e assustado, com a ideia de que o dia de ir para a escola estava mesmo quase a chegar.
A mãe explicou-lhe que a escola era muito bonita e a professora muito amiga, mas não adiantou nada, o Chester continuava triste e preocupado!
Até que chegou o grande dia e a mãe, ao vê-lo triste, contou-lhe um segredo muito antigo, chamado “um beijo na mão”. Abriu-lhe a mãozinha e beijou-a carinhosamente. O Chester sentiu o calorzinho do amor da mãe, que subiu da mão para o braço e do braço para o coração e ficou logo a sentir-se melhor. “Quando estiveres triste ou assustado, encosta a mão à tua cara e verás que logo ficas bem!” disse-lhe a mãe.
E assim foi, o Chester foi para a escola contente e tudo lhe correu bem, pois sabia que podia separar-se da sua mãe, mas o amor dela estava sempre no seu coração!

Vitória, vitória, acabou-se a história!
Está a história acabada e a minha boca cheia de marmelada!

Um comentário:

Rose Diniz® disse...

Oi florzinha, tudo na paz? Fiquei uns dias sem aparecer. Graças a Deus voltei a trabalhar e ainda tá tudo novo. Estou ainda me adaptando aos horários, mas aos poucos volto ao trabalho na net. Sinto saudades dos meus cantinhos amigos, de vir aqui faze